Bausch, Jackson, Cunningham...

Meu blog está parecendo nota de falecimento, mas nos últimos dias desde a morte de Michael Jackson e Pina Baush que parece ter pairado um silêncio sobre minhas idéias criando um grande espaço para mais e mais questões que ainda nem tenho como expressar de tão profundas inquietações. Agora arrebatando me ainda mais, deixa nos Merce Cunningham um dos mestres da interação, inovação e revolução da Dança mundial. A morte destes ícones da minha formação artística são a prova de que o tempo passou e uma das minhas maiores questões é: e o que foi que eu fiz este tempo todo? É um momento de reflexão pessoal, momento de revisitar minhas idéias, minhas produções. Momento de buscar nas minhas obras o que existe de influência destes seres iluminados e dar a minha contrapartida. E o mundo transformado, transtornado, cobrindo nos com sua massa de silício e violência, torna-se ainda menos protegido da insensibilidade urgente, porque eles não estão mais aqui para se defenderem.


3 comentários:

Maurício disse...

concordo com suas singelas palavras, pra traduzir o que deixaram de mais lindo e possível de ser feito com nosso corpo...viva os deuses da dança e da arte, aonde quer que estejam sempre...bravo.

clenio disse...

obrigado pelo comentário amigo. bravos!

Tati disse...

Grandes mestres...