letra da dança


esta técnica é destinada a todas as pessoas interessadas em trabalhar seu corpo e sua mente através da dança. salve para seu computador, treine, dance e depois me conte como foi a experiência. qualquer dúvida, é só gritar por socorro.
à guisa de introdução, a técnica letra da dança surgiu da minha experiência como aluno de dança, professor, dançarino, mas sobretudo, como coreógrafo. durante o processo de criação eu tinha dificuldades em assimilar os movimentos propostos pelos coreógrafos, pois iniciei minha carreira artística como ator e sentia falta de uma referência verbal ou dramática para realizar a interpretação das seqüências. em meus trabalhos como coreógrafo mais uma vez sentia que os dançarinos tinham dificuldades em incorporar os movimentos que eu propunha e de personalizar os passos sugeridos. então passei a utilizar os métodos teatrais para composição das coreografias, através de cenas com enredo personagens e afins.
aprofundando-me percebi que numa peça de teatro falado, ao invés de movimentos, a comunicação se dá através das palavras do texto que são anteriormente memorizadas. essas palavras encontram mais facilidade de permanecerem no cérebro dos intérpretes, uma vez que somos mais íntimos do verbo no que tange à comunicação do que da decodificação de movimentos. passei a utilizar textos na composição de passos de dança. a combinação dos textos aos passos transformava a coreografia numa composição de frases dançantes, dispondo os intérpretes ao tema proposto no momento da criação. eu gosto de comparar o método à estratégia dos cantores de carnaval que conseguem impelir milhares de pessoas a executarem precisas e sincronizadas coreografias através dos refrões de suas canções.
este método coreográfico é um mecanismo que utiliza textos, poemas e palavras relacionadas à uma temática ou não, para criação de gestos e passos, através de diferentes graus de equivalência como sinônimos, antônimos e outros jogos literários. assim obtemos uma coreografia com movimentos desafiadores na execução e facilitadores na assimilação.
os textos-estímulos foram diminuindo a cada novo trabalho criado através desta estratégia, pois os intérpretes já haviam assimilado a verdadeira função do método e passavam a elaborar sozinhos as características dos seus movimentos e dar personalidade às suas formas de dançar utilizando como estímulo pequenas expressões ou palavras chaves do tema. em “oposto” (teatro castro alves – 2005 – ateliê de coreógrafos brasileiros ano iii – salvador ba) primeiro eu criei um texto e um roteiro, defini os personagens e suas características e depois coreografei o texto onde cada palavra era substituída por movimentos dos intérpretes-criadores. assim os dançarinos literalmente conversavam com os corpos através da dança.
a redução dos textos-estímulos tornou o trabalho mais técnico, e então surgiu a idéia de criar uma técnica que chamei de letra da dança, onde substitui exercícios básicos para aquecimento, alongamento e alinhamento postural por letras do alfabeto, algarismos e sinais gráficos, onde cada símbolo equivale a um grupo muscular diferente.
no primeiro momento você vai estudar, na prática, as posições de cada letra. a partir da sua memorização, você vai combinar as letras, sinais e números, criando palavras e frases como se estivesse ampliando o teclado do seu computador para todo o seu corpo. desta forma as aulas de dança viram uma brincadeira de aprender a utilizar o alfabeto, a acentuação gráfica, a matemática, a comunicação artística e o condicionamento físico do seu corpo.
no segundo momento, depois de assimilados os símbolos, chega a hora de dançar. essa etapa se dá como na caligrafia. o mais importante na coreografia é que os dançarinos tenham a consciência da ligação entre um movimento e outro, assim como na caligrafia, onde o mais importante é como a aluno emenda uma letra à outra. nesta fase você vai trabalhar a personificação do seu movimento-letra. o movimento-letra será o mesmo para todos, mas cada um vai escrever suas frases de forma diferente, como na escrita.
o terceiro momento é o da leitura, onde você pode convidar um partner para criarem danças para o outro ler, como numa brincadeira de mímica. esta etapa é muito importante para exercitar a contracena, a observação e o respeito das diferenças corporais, emprestando à dança a cumplicidade e a concentração da leitura.
no quarto momento é hora de criar. agora que você já sabe escrever, ler e recitar seus movimentos é hora de exprirmir seus sentimentos e suas idéias de mundo, imprimindo no ar seus movimentos através da dança. é hora de compor poemas, textos, poesias, jograis, artigos e dissertações através dos seus corpos.
arrisque, crie sua própria língua através da dança.

na poesia quando o assunto é movimento as palavras se movem.
na dança quando o tema é palavra os músculos recitam.
os corpos falam.
as frases dançam.
o ar é página.
a pauta é palco.

Os movimentos das letras
Página em branco – Pés paralelos na largura dos quadris, braços relaxados ao longo do corpo, cabeça olhando para frente. (movimento estático relaxado)
A- Pés paralelos na largura dos quadris, braços relaxados ao longo do corpo, cabeça olhando para frente. Dedos (maior de todos) apontando para o umbigo, palma da mão para frente. Cotovelos na linha sagital, ombros para baixo, movimento preciso.
Músculos: deltóide, bíceps, músculos do antebraço. Proporciona realinhamento postural através da consciência de perfil.
B- Pés paralelos na largura dos quadris, coluna curva, joelhos flexionados, braços alongados na linha sagital da cabeça, mãos relaxadas, soltando o ar soprando o umbigo. Movimento suave, aerado durante a execução, contínuo e ligado.
Músculos retos, vasto lateral e medial da coxa, deltóide, abdome e coluna vertebral. Dá uma noção de movimento curvo e de contração abdominal e alongamento da coluna.
C- Afastam-se as pernas virando os pés para fora a partir da rotação da coxa, flexionando os joelhos, tronco ereto, braços alongados na linha dos ombros, cabeça olhando para frente.
Músculos da coxa, rombóide, deltóide e trapézio. Proporciona alongamento das virilhas e noção de movimento abertos e angulares.
D- Pés paralelos na largura dos quadris, ombros relaxados e flexionados para a frente, cabeça olhando para o chão, braços ao longo do corpo, tronco fletido nos primeiro (cervical) e segundo (cintura escapular) pontos.
Consciência de flexão do segundo ponto da coluna. Proporciona alongamento dos ombros e coluna cervical.
E- Pés paralelos, flexiona-se os joelhos, tronco ereto, braços relaxados ao longo do corpo. Movimento balançado como uma mola.
Consciência de encaixe pélvico, alinhamento postural da coluna, de amortecimento de saltos com o fortalecimento dos joelhos e alongamento do tendão de Aquiles e músculos gastrocnêmico.
F- Flexionam-se os joelhos, flete-se anteriormente o tronco em todos os pontos (cervical, escapular, abdominal e pélvico), palmas das mãos sobre os pés.
Consciência da flexão do quarto ponto, alongamento dos glúteos, da parte posterior das pernas e de toda a coluna vertebral.
G- Flexão anterior do pescoço.
Consciência da flexão do primeiro ponto da coluna vertebral, relaxamento e alongamento da coluna cervical.
H- Rotação posterior dos ombros.
Ativa musculatura da região escapular e rotadores dos ombros.
I- Abrem-se os braços na linha dos ombros através de um movimento chicoteado.
Consciência da qualidade de movimento chicoteado.
J- Rolamento que parte da suspensão do pé direito, flexão do joelho esquerdo até mão direita apoiar-se no chão. Rola pelos glúteos e levanta sob o apoio da perna direita.
Quadríceps, gastrocnêmico, tríceps, deltóide. Proporciona a prática do rolamento, queda e recuperação e mudança de nível.
K- Rotação anterior dos ombros.
Idem ao “H”.
L- Rolamento que parte da suspensão do pé esquerdo e flexão do joelho direito até mão esquerda apoiar-se o chão. Rola pelos glúteos e levanta sob o apoio da perna esquerda.
Idem ao “J”.
M- Passo para o lado com o pé direito, perna esquerda cruza por trás da direita, tronco torce apontando os braços e cabeça para o calcanhar esquerdo.
Músculos abdutores da perna direita e adutores da perna esquerda, contração dos músculos rotadores do tronco do lado direito, alongamento dos músculos dos braços. Noção de giro sobre o próprio eixo, através de sua combinação com as vogais e consoantes “P” e “B”.
N- Passo para o lado com o pé esquerdo, perna direita cruza por trás da esquerda, tronco torce apontando os braços e cabeça para o calcanhar direito.
Músculos abdutores da perna esquerda e adutores da perna direita, contração dos músculos rotadores do tronco do lado esquerdo, alongamento dos músculos dos braços. Noção de giro sobre o próprio eixo, através de sua combinação com outras letras.
O- Elevam-se os calcanhares apoiando-se o corpo sobre os metatarsos. Passo para o lado com o pé direito, perna esquerda cruza por trás da direita, tronco torce apontando os braços e cabeça para o calcanhar esquerdo.
gastrocnêmico, músculos do pé e da canela. Trabalha equilíbrio sobre o metatarso.
P- Flexionam-se os joelhos e como uma mola impulsora salte no nível em que os dedos quase não saem do chão.
Quadríceps, músculos do pé, gastrocnêmico. Prepara o aluno para pequenos saltos e suas funções amortecedoras.
Q- Abrem-se os braços na linha dos ombros e rotam-se os antebraços para dentro. Mantenha cotovelos e ombros imóveis durante a rotação.
Deltóides, bíceps, trabalha a noção de rotação interna.
R- Abrem-se os braços na linha dos ombros e rotam-se os antebraços para fora. Mantenha cotovelos e ombros imóveis durante a rotação.
Deltóides, bíceps, trabalha a noção de rotação externa.
S- Balanço que parte dos braços que vão para trás levando as mãos até a coluna lombar. Flexionam-se os joelhos levando as mãos para o chão que, como uma parábola, sobem até a altura dos ombros alongando os joelhos. Tronco relaxado flete nos quatros pontos. Solta-se o ar durante a execução.
Quadríceps, flexão dos joelhos, alongamento do tendão de Aquiles, relaxamento dos braços e toda coluna vertebral. Dá noção de uso da respiração como facilitadora do movimento.
T- Flexionam-se os joelhos a fim de alongar os tornozelos, tronco fletido no quarto ponto, mantendo a coluna ereta numa diagonal. Braços alongados na largura dos ombros acompanham linha diagonal das coxas. Movimento cortado, cabeça apontando para o intervalo entre as mãos.
Quadríceps, flexão dos joelhos, alongamento do tendão de Aquiles, dos braços e toda coluna vertebral. Dá noção de movimento cortado acompanhado da contração muscular e precisão rítmica através da sua combinação com a dinâmica das outras letras.
U- Como uma batida de palma interrompida, deixe um espaço entre as mãos como se pressionasse uma bola. Cotovelos sobem na linha dos ombros. Movimento resistente.
Peitoral, deltóide, músculos do antebraço. Dá noção de resistência muscular.
V- Cruzam-se as pernas a partir das coxas, sendo direita na frente da esquerda. Costas da mão direita no umbigo e costas da mão esquerda na lombar.
Músculos adutores da coxa, braço e antebraço. Trabalha torção do tronco, equilíbrio, giro sobre o próprio eixo e coordenação motora.
W- Cruzam-se as pernas a partir das coxas, sendo esquerda na frente da direita. Costas da mão esquerda no umbigo e costas da mão direita na lombar.
Idem ao “V”.
X- Batida de palma para produzir som.
Peitoral, bíceps, trabalha ritmo e percussão corporal.
Y- Pés juntos, parte interna das coxas juntas, ombros para baixo, braços para cima abertos em “V”. Cabeça apontando para diagonal alta à frente.
Adutores da coxa, deltóide, trapézio, músculos das costas. Proporciona alongamento dos braços e noção de ângulos corporais.
Z- Cumprimento de agradecimento livre.
Descontração, espontaneidade.
Os movimentos dos números
Os números são representados pelos movimentos da cabeça. Devem ser realizados de forma suave, devido à fragilidade da região cervical. Trabalhados freqüentemente, os músculos do pescoço dão agilidade para a realização de ações de foco, além de evitar torcicolos. Nos números pares o foco é para a direita e nos ímpares para esquerda.
0- Nariz aponta para o chão entre os pés.
1- Rotação da cabeça para o lado esquerdo. Olhar na direção do horizonte, queixo sobre o ombro esquerdo.
2- Rotação da cabeça para o lado direito. Olhar na direção do horizonte, queixo sobre o ombro direito.
3- Nariz aponta para o pé esquerdo.
4- Nariz aponta para o pé direito.
5- Nariz aponta para a diagonal esquerda alta.
6- Nariz aponta para a diagonal direita alta.
7- Orelha esquerda sobre o ombro esquerdo.
8- Orelha direita sobre o ombro direito
9- Nariz aponta para o céu.
Os movimentos dos sinais gráficos
Representados pelo movimento das mãos e braços, esses exercícios trabalham a coordenação motora e sua prática diária evita lesões como LER, tendinite, bursite, etc. Indicados para digitadores, artesãos, costureiras, caixas ou quaisquer outros trabalhadores que exigem muitos das mãos e braços para execução de movimentos repetitivos.
. (Ponto final) Giro com a mão direita como se fosse rodar uma chave para abrir uma porta, na altura do umbigo.
, (Vírgula) Exposição da palma da mão esquerda apontando para o céu, como quem pede algo, na altura do umbigo.
; (Ponto e vírgula) Os dois movimentos executados simultaneamente.
: (Dois pontos) Mão esquerda e direita fazem um giro para fora. Mão direita no sentido horário e esquerda anti-horário.
’ (Acento agudo) Suspensão do braço direito até alongar todo o braço ao lado da cabeça.
` (Acento grave) Suspensão do braço esquerdo até alongar todo o braço ao lado da cabeça.
^ (Acento circunflexo) Suspensão de ambos os braços até se alongarem na lateral da cabeça, com palmas das mãos alongadas.
¨(Trema) Suspensão de ambos os braços até se alongarem na lateral da cabeça, com mãos fechadas.
~ (Til) Giro dos pulsos para dentro iniciando com ambas as mãos fechadas e finalizando com a junção das costas das mãos alongadas. Cotovelos flexionados, abertos na altura das costelas.
? (Ponto de interrogação) Costas das mãos encostadas na coluna lombar, cotovelos abertos na linha sagital do corpo.
! (Ponto de exclamação) Os dois braços alongados para trás com as pontas dos dedos apontando para a diagonal (Aproximadamente 30 graus) baixa da parte posterior do corpo.
+ (Sinal de adição) Palmas das mãos para a frente expostas na altura dos olhos, ombros e cotovelos relaxados.
- (Sinal de subtração) Costas das mãos para frente expostas na altura dos olhos, ombros e cotovelos relaxados.
= (Sinal de igualdade) Mão direita sobre o cotovelo esquerdo e mão esquerda sob o cotovelo direito. Cotovelos na altura do peito.
/ (Sinal de divisão) Cotovelos na altura do peito, mão direita fechada sob a palma alongada da mão esquerda.
X (Sinal de multiplicação) Cotovelos na altura do peito, mão direita fechada sobre a mão esquerda fechada.
(clique nas imagens para ampliá-las.)
***






Nenhum comentário: